Páginas

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

A Verdade sobre as Fadas!

 Olá, estou aqui hoje para tentar trazer a verdade a vocês, eu sei que alguns de vocês irão rir, mas se ao ler isso lhe ajudar de alguma forma, minha consciência já estará mais leve, e se depois disso você ainda quiser correr o risco, bem isso será uma escolha sua!

Para muitos as fadas são seres simpáticos, pequenos seres de asas, luminosos, que soltam um tipo de pó mágico. Para outros são pequenos seres que usam gorro e possuem uma barba branca. E ainda existe aqueles que acreditam que esses seres mágicos escolhem determinadas pessoas e se tornam suas madrinhas.

E são essas pessoas que descobrem da forma mais brutal que tudo isso não passa de um mito, do mesmo lugar que estes seres se originam também surgem goblins, trolls, e coisas que prefiro não mencionar para não trazer a atenção destes seres para mim, entenda que mesmo ao escrever isso eu estou me colocando em risco.  

Ninguém sabe da onde eles se originam, talvez uma outra realidade, os Celtas na Bretanha, chamava este lugar de Avalon, uma ilha mística que aparecia somente para aqueles que possuam poderes mágicos ou sangue das fadas. Essas criaturas aparecem em diversas culturas, na cultura japonesa eles chamados de Yokais.

Alguns deles roubam as nossas crianças, e colocam as suas em seu lugar, eu acredito que isso é para que essas crianças possam se infiltrar melhor em nossa sociedade, e para o momento certo tomar o nosso mundo de nos! E o que acontece com as crianças que eles levam? Eu prefiro acreditar que elas se tornem escravas, mas a verdade é que coisas bem piores podem acontecer.

Os meus estudos me revelaram que sua estrutura social lembra as antigas cortes medievais, com acordos e laços de vassalagem, a palavra para esses seres é algo indiscutível, e aparentemente eles são incapazes de dizer uma mentira. Mas não se iluda, essas criaturas vis tem anos, séculos e ate milênios no jogo das palavras, colocando qualquer político ou advogado no chinelo!

Alguns acreditam que elas podem ser presas e contidas com círculos de evocação, mas tenha em mente que isso pode ser só mais uma forma de essas criaturas terem acesso ao nosso mundo.

Porem estas criaturas possuem fraquezas, pelo menos uma que funciona com certeza, acredite
em mim você não irá querer saber, é o ferro frio, na verdade nem precisa ser esse tipo de metal. Qualquer tipo de metal a base de ferro consegue ferir estas malditas criaturas.

Claro que você pode não acreditar em nada disso, isso é uma escolha sua, a minha consciência
esta tranquila!

Autor: Desconhecido!

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Animais e Mudanças, que tema mais complicado!

Devo confessar que ao ver o tema desse mês da Ciranda de Blog, "Animais e Mudanças", fiquei me perguntando, “Cara como falar sobre isso?” espero que nas linhas abaixo eu tenha conseguido. Algo que gosto no RPG é a possibilidade de extrapolar, sair da caixinha, quando vejo um filme ou uma serie e acho que poderia usar aquilo no RPG, sempre tento buscar o que não foi dito, ou o que só é mencionado, então vamos lá.

Acho que a idéia mais básica que me veio a mente foi a migração de animais, sabe coisas como a viagem de aves para o sul, ou a viagem de salmões contra a correnteza para desovar próximo as nascentes. E cara minha cabeça explodiu, como assim?

Imagine que um grupo de colonos se muda para um novo planeta, região ou continente. O local possui tudo o que se faz necessário para que a vida deles cresça e expanda. Logo o local se torna um pedaço do paraíso para os seus colonos. Porem o que esses colonos não sabem é que esta mesma região é um local propicio para a reprodução um perigoso predador, que só faz isso de tempos em tempos, que acontecera quando esses predadores encontrarem estes colonos ali?

Isso nem é um idéia original, ela já foi usada em uma serie de TV, Terra Nova, em um de seus episódios exatamente isso acontece, e os moradores de Terra Nova tem de lidar com o problema. Os pcs poderiam ser mercenários contratados para lidar com este problema, ou ainda serem pegos no fogo cruzado em criaturas e colonos.

Outro elemento que me veio a cabeça foi o sentido de mudanças, e um de seus sinônimos, a transformação. Uma mudança tão radical que quando o processo termina o ser ou objeto já não é o mesmo. Ok, vou tentar dar um exemplo mais pratico certo?

Imagine por exemplo que os pcs são amaldiçoados, ou foram empregados com um vírus que não irá matá-los, mas com o passar do tempo os pcs vão mudando fisicamente, não só sua aparecia, mas sua mente começa pregar peças. Um exemplo disso são os zumbis, dependendo do tipo de zumbificação, o contaminado / amaldiçoado sofre horrores ate finalmente se tornar o monstro. A missão dos pcs agora não é só encontrar a cura para o que lhes aflige, mas também combatê-la.



Existem sistemas que trabalham a mudança em uma espiral decrescente, em Call of Cthulhu, a cada vez que você é exposto aos mitos ou a coisas ligadas a eles seu personagem vai ficando cada vez mais próximo de se tornar uma louco. Em Vampiro a Mascara, a cada ação vil que vai contra a sua humanidade, você precisa fazer um teste, a falha significa que você perde um ponto de humanidade, e esta mais próximo de se tornar uma besta tomando pela urgência de tomar sangue.

Ok, hoje o texto não foi um dos mais objetivos que já escrevi, mas acho interessante exploramos elementos que às vezes podem parecer desinteressantes. Acredito que essa habilidade pode te ajuda como mestre a surpreender aos seus jogadores, aquele simples animal na estrada pode não ser só um simples animal, e como eles irão reagir a isso?

bem espero que esse texto lhe ajude de alguma forma, nos vemos semana que vem!


quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Como a Tecnologia pode afetar o seu Cenário Sci-fi? ( 2ª parte)

Ola, continuando a ideia do ultimo artigo, hoje gostaria de falar sobre computadores e inteligências artificiais e como eles podem afetar o seu cenário, em muitos cenários de ficção é comum o avanço dos computadores em cenários de ficção, esse avanço pode ser aproveitado de varias formas diferentes, uma delas é a criação de uma realidade virtual, basicamente você daria a capacidade a uma pessoa de se transferir para dentro de um computador e a partir daí acessar a uma rede igual a internet.
Essa capacidade de entrar na maquina poderia ter vários níveis diferentes, desde um acesso com óculos e fones de ouvido, como uma forma simples ou indo de forma radical com a transferência da consciência para o computador, alguém ai falou em Matrix?
Existe um livro que trabalha exatamente isso, em Jogador Numero 1, você acompanha o protagonista em mundo virtual, que acabou ocupando o lugar do mundo real. Ele viaja em diversos cenários diferentes encarando os desafios que cada um deles apresenta.
Para quem esta achando isso confuso de se entender, imagine um MMORPG, a onde a barreira do monitor e do usuário é quebrada, você não precisaria mais de um mause ou teclado, com um simples gesto de mãos, no caso de uma imersão parcial, ou somente desejando no caso de uma imersão total, e você seria capaz de ir de um lugar ao outro.
Essa ideia por si só já da margens para toda uma historia, imagine um haker, ou um grupo deles tentando invadir uma empresa, só que ao invés de invadi-la pessoalmente eles fazem isso através de sua rede de computadores, nesse mundo se informação é poder, imagine as possibilidades.
Para algum mestres isso pode permitir a variação de estilos em sua mesa, como assim? Bem imagine que ao criar a sua rede de computadores o programador adotou um visual estilo idade media, bem para acessar a informação desejada os personagens irão encarar monstros e outras criaturas que seriam a defesa da rede. Ou quem sabe o cara era fã de Matrix e adotou o visual do filme, ou ainda se ele fosse um fã de quadrinhos, bem acho que você já entendeu.
Para velhacos como eu entender esse conceito era complicado, ainda mais se você não tivesse conhecimentos de programação, mas acredito que hoje seja mais fácil entender isso.
Outro avanço que pode gerar serias mudanças são as Inteligências Artificiais (AI), basicamente AIs são programas que são capazes de realizar tarefas sem a presença de seres humanos, tomando decisões e elas podem ter ou não consciência. Como assim você deve estar se perguntando.
Uma AI sem consciência realiza as tarefas sem se perguntar o por que, ela simplesmente realiza a ação, dia a apos dia, sem se manifestar, a não ser que algo esteja fora de seus parâmetros, já uma AI com consciência é capaz de fazer uma das perguntas mais perigosas da historia, o “por que?”, perigosa por que isso pode levar a respostas como “os seres orgânicos são dispensáveis?” e advinha que seria estes seres orgânicos?
Exemplos disso são encontrados em filmes como Matrix e Exterminador do Futuro, em ambos a tecnologia, ou as maquinas, evoluiu a um ponto de se  tornarem independentes dos humanos. Claro que existem cenários que dizem que isso poderia ser evitado, na serie Robos de Isaac Asimov, existem as três leis que impedem as maquinas de assumirem o comando.
Computadores melhores também poderiam permitir ao homem conquistar um de seus maiores sonhos, o espaço! Afinal poderíamos calcular como construir naves melhores e outras formas de impulsionar essas naves pela imensidão negra.
Seja como for, o avanço dos computadores pode influenciar drasticamente o seu cenário, tudo depende de como você quer utilizá-lo. Seja como vilão e ou uma forma de se viver aventuras, os computadores podem lhe proporcionar muitas aventuras.
Espero ter iluminado um pouco mais essa questão, nos vemos na próxima semana!

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Nota Rápida

Bem minha gente, como vocês podem reparar o nome do blog mudou, isso se deve ao fato que minha escrita esta indo em certa direção. Algo ainda mais aberto do que necessariamente eu planejava.


Mas não se preocupe, continuarei fazendo o meu trabalho! Nos vemos no próximo artigo!

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Como a Tecnologia pode afetar o seu Cenário Sci-fi? ( 1ª parte)

Um dos elementos mais comuns nos cenário de ficção cientifica é a tecnologia, ela pode ser somente mais um elemento do cenário, ou, o mais comum ele pode moldá-lo, ela pode ser a origem ou a solução de seus problemas, existe uma centena de maneiras de você encará-la, e aqui vamos discutir algumas.

O que é Tecnologia?


De acordo com a fonte de todo saber Wikipedia, a definição do termo seria:
Tecnologia (do grego τεχνη — "técnica, arte, ofício" e λογια — "estudo") é um termo que envolve o conhecimento técnico e científico e a aplicação deste conhecimento através de sua transformação no uso de ferramentas, processos e materiais criados e/ou utilizados a partir de tal conhecimento.


A partir disso podemos pensar que isso pode envolver elementos mecânico e biológicos, sim meu querido, ou você acha que manipulação de DNA não esta relacionado a isso? E acredito que com o passar do tempo, a junção dessas duas será inevitável, alguém ai gritou cyberpunk?

Ok, então como você pode usar isso em suas historias de sci-fi e RPG, bem vamos pelo caminho que muitos jogadores adoram, armas, armaduras e escudos, e meu caro quem não adora um brinquedo novo? E estes estão ligados diretamente a tecnologia disponível.

Peguemos o exemplo do filme do Homem de Ferro, nos filmes recentes vimos que a introdução de uma armadura altamente tecnológica que possui a capacidade de um exercito, cria um desequilíbrio no poder mundial, não só por que ela esta sob controle de um civil, sem fidelidade governamental, mas por que só ele é capaz de criá-las.

Mas e se essa informação vazasse? E se governos colocassem as mãos nesta tecnologia? E se um grupo extremista, que acredita que sua ideologia é mais certa e justa é a única capaz de guiar a humanidade para um futuro melhor? Alguém ai gritou Hidra?

Sim meus caros, como eu disse, a tecnologia pode ser tanto uma benção quanto uma maldição. Alem disso ainda existe a escalada tecnológica, se alguém cria uma arma outra é criada para superá-la, e cada vez que um equilíbrio é criado existe uma busca para superá-lo.

Isso é claro é uma forma de se ver as coisas, outra forma é como a tecnoliga pode afetar a sociedade, existem dois filmes que gosto muito que mostram isso muito bem. O primeiro é WALL·E, nesse filme a raça humana abandou a terra depois de transformá-la em um grande lixão, eles agora vivem no espaço em grande naves que podem ser comparadas a cruzeiros de luxo, a onde todas as suas necessidades são atendidas através de robôs.

Eternamente deitados em suas poltronas e se comunicado basicamente através de seus monitores, mesmo que a pessoa esteja ao seu lado os seres humanos foram esquecendo da Terra, e se tornando cada vez mais dependentes de sua tecnologia. Depois de algumas gerações, eles já não usam seus pés e todos são obesos. Ate a simples ação de andar já se torna um desafio. Um excelente filme essa animação da Pixar nos mostra como podemos nos tornar acomodados.

O segundo filme seria Substitutos, o filme em si é fraco, mas a idéia ainda é muito boa, ele faz a seguinte pergunta, o que aconteceria se criássemos corpos artificiais e fossemos capazes de controlarmos eles a distancia, mantivéssemos os sentidos do tato, audição e visão? A principio parece que não muda muita coisa, mas a medida que o filme vai nos introduzindo a este novo mundo percebemos que mortes causadas por atos de violência como assaltos e acidentes cai drasticamente.

Mas isso cria uma divisão na sociedade, existe aqueles que não vêem problema em usar essa tecnologia, a grande maioria, e existe aqueles que abandonam de vês a sociedade, alegando que a humanidade esta deixando de ser humana, com o uso de tal tecnologia.

No segundo caso é interessante pensamos como elementos como a guerra, que agora realmente parece um jogo de vídeo game, o barateamento da tecnologia chega a um ponto que fica mais barato do que mandar soldados humanos para conflitos, o filme em si não se aprofunda nessa questão, mas eu fico imaginando como os conflitos atuais ficariam.


Então ao criar o seu cenário de ficção cientifica, seria interessante você pensar coisas como, quais tipo de tecnologia existem? Como elas afetam o meu cenário? Será que existe algum segredo ligado a essa tecnologia? A tecnologia é algo comum? Todos tem acesso a ela?


Bem acredito que por hoje podemos ficar por aqui, essa é a primeira parte, semana que vem continuamos. Ate semana que vem.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Ficção Cientifica e RPG

Ola, estou aqui hoje para falar de um dos gêneros que mais me agrada, a Ficção Cientifica (FC), o meu primeiro contato com esse gênero sempre fica meio confuso, isso por que sempre vem a minha cabeça imagens de assistir Star Wars e Star Trek a serie clássica. E se extrapolarmos mas um pouco, e isso não ofender a ninguém, talvez possa considerar Jaspion como o primeiro dos primeiros.
Já na literatura isso veio bem mais tarde, com Frank Herbert, Duna, e Isaac Asimov, A Fundação, e os livros baseados na serie de TV Arquivo X, graças a um desserviço de uma professora de ensino fundamental, me considerava incapaz de ter paciência para ler, hoje graças as Estrela Vivas eu já superei isso.
Esse gênero me agrada por que dentro dele, existe uma gama de subgêneros, que só são limitados pela imaginação do seu autor, e a com isso dito vou tentar demonstrar como podem ser interessante utilizar este gênero em suas mesas de jogo. O RPG, como a ficção cientifica pra mim, só é limitada pela imaginação do Narrador/Mestre e seus jogadores.
Existem alguns termos que dividem o gênero, tais como Space Opera (Opera Espacial), Hard Scienc, Cyberpunk, Viagem Temporal e etc... Algumas possuem alienígenas cruéis que só querem nos dominar, em outras os aliens são nossos aliados, e há ainda aqueles a onde a única espécie dominante são os humanos.
Mas algo é comum a todos os gêneros, Tecnologia, não só a sua existência, mas também como ela afeta aos seres de seu universo. Nem todas as FC, demonstram isso de forma clara, mas se você olhar bem de perto ela estará lá. Seja envolvendo bioengenharia ou implantes cibernéticos. Em algumas historia essa tecnologia se torna algo maligno, não ela em si, mas na verdade em como ela é utilizada
E como muitos gêneros, logo depois do aparecimento do RPG, este foi um que logo surgiu no meio e se desenvolveu. La fora alguns títulos se destacam, como Traveller, Shadowrun e Warhammer 40,000 Roleplay, isso só para destacar alguns dos que ainda recebem suporte, no Brasil, hoje só temos o Space Dragon, de Igor Moreno e o Abismo Infinito de John Bogéa, mas já tivemos jogos como o Millenia, porem este ultimo esgotado e sem previsão de impressão. Apesar da preferência de uma parte dos jogadores de RPG por fantasia, o gênero se mantém presente.
Então agora você já conhece um pouco de FC e de sua presença no cenário do RPG, vamos então falar das possibilidades. Como em qualquer gênero de RPG, você pode criar algo totalmente do zero, ou usar um dos vários cenários existentes, como Duna, A Fundação, ou ainda escolher um jogo que já exista, mas para isso você precisa decidir do que ira tratar esse cenário, caso use um sistema genérico como o Fate Core, o Savage Worlds ou ainda o Gurps, bem isso facilita parte do trabalho.
Eu por exemplo adoro Star Trek, todas as series, e uma das coisas que gosto na serie são os episódios de exploração, principalmente em Star Trek TOS e Enterpriese. Isso significa que os personagens dos jogadores irão viajar pelo espaço, normalmente com uma nave, e explorar os mistérios que a galáxia reserva.
Mas é claro que nem todas as raças serão legais com os personagens, como eles serão recebidos em territórios já controlados por outras espécies e poderes governamentais? Em alguns cenários o primeiro contato com outras raças é responsável, por episódios inteiros. Alguns terminam bem, outros nem tanto.
Se você gosta de um estilo mais Space Opera, algo do tipo precisamos salvar o universo, também existe uma gama da possibilidades. Os personagens dos jogadores podem integrar uma força militar que tem como objetivo manter a paz na galáxia, hum a onde eu já ouvi isso? Ou quem sabe eles sejam só membros de uma tripulação de uma espaço nave que esbarrou com uma ameaça a muito tempo esquecida na escuridão do espaço!



Como eu disse anteriormente, não há limites para se explorar este gênero! Bem pretendo em futuros artigos falar mais de outros elementos que compõem esse gênero, espero que este conteúdo tenha lhe ajudado e nos vemos na próxima.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

A Morte quando o fim é só o começo!

Quando escutamos a palavra morte, pensamos em fim, no que já acabou ou ira acabar,
isso é natural do homem. Mas e se fosse o contrario? E se fosse o inicio de uma
fabulosa aventura? Bem que tal como usar isso em suas aventuras?


Bem em tão vamos começar, na maioria dos livros e filmes de suspense sempre há uma
morte logo no inicio da historia, as vezes isso é mostrado outras vezes somente o produto final, o cadáver é mostrado, porem em ambos os casos essa morte será a motivação para se começar a historia, e o primeiro foco de uma investigação é o próprio morto, coisas do tipo de quem ele era? O que ele estava fazendo ali? E por que alguém iria querer aquela pessoa morta?


Essas perguntas levam o investigador a descobrir não somente a historia do morto, mas
também como ele chegou nessa situação. Somente essas perguntas podem levar os
investigadores a descobrir e a enfrentar desafios que podem colocá-los em risco. E se a morte foi uma tentativa fracassada de um vampiro em cobrir seus alvos? O embaixador do planeta Sheir é conhecido por sua xenofobia, será que algum grupo extremista queria dar cabo dele?


Outra forma de se encarar a morte é tratando ela não como o fim de algo, mas sim uma
passagem, em muitos mitos gregos os heróis vão ao sub mundo, a onde os mortos habitam, para resgatar seus entes queridos e seus amores, nos contos gregos existem
pontos que conectam o nosso mundo ao sub mundo, mas eles não são faceies de se
encontrar e entrar.


O sub mundo não é um parque de diversões, para os gregos nele continham espaços de
prazer e recompensa, caso você tenha sido uma boa pessoa, mas também eram lugares de tormento e dor. Geralmente os soberanos desses lugares, no caso grego Hades, criam formas para impedir que as almas escapem de suas penas, e protege o lugar de invasores.
Só a descoberta de uma dessas entradas pode gerar todo uma aventura, como descobrir
tais lugares não é algo fácil, e esse é o tipo de informação que poucas pessoas podem ter acesso. O que os jogadores irão fazer por tal informação? Esse é o tipo de pergunta que somente você e seus jogadores podem responder.


E por ultimo, mas não menos importante, a ressurreição de um aliado ou amigo e olha
que eu não estou falando somente de cenários de fantasia. Por exemplo, em Star Trek: a Procura de Spock, os tripulantes estão tentando devolver a consciência de Spock que esta presa no corpo de Mccoy, não vou contar o resto para não estraga as surpresas.


Porem existe um aspecto negativo da ressurreição, se usada de forma exagerada pode
acabar também com a sensação de perigo do cenário, por exemplo em Star Gate, existe uma maquina que pode curar qualquer tipo de ferimento, mesmo se a pessoa já estiver quase morta, isso acabou gerando na serie uma muleta, “a ele se feriu? É só colocar no sarcófago! E
voilà!” para soluciona isso os produtores colocaram um efeito colateral, essa exposição causava um tipo de loucura, o que também justificava outros aspectos do cenário.


Então como podemos ver, a morte não precisa ser necessariamente o fim, mas também o começo! Espero ter podido ajudar com essas idéias, nos vemos nos próximos artigos.


quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Como o “e se” funciona nas Histórias de RPG!



Hoje gostaria de falar das possibilidades que um personagem e ou período histórico podem conter. Muitas vezes queremos criar algo do zero, e ignoramos que já existem personagens fantásticos que fizeram coisas que muitas vezes são inacreditáveis, tanto que muitos não acreditam que eles tenham feito realmente aquilo, claro que se nos atermos a realidade é bem possível que ele realmente não tenha feito.
Mas se na historia não existe o “e se” em RPG essa é uma das ferramentas básicas! Isso não quer dizer que um se torna o oposto do outro, mas sim um complemento. Ao escolher por exemplo o período colonial brasileiro o mestre pode se ater a somente o que é possível, o que com certeza já dariam excelentes historias, mas se alem disso você pudesse aumentar as coisas? Se a magia for algo real? Como isso afetaria o cenário? Será que a relação entre brancos e índios seriam as mesmas? E se os brancos também possuíssem magia?
Essas perguntas levam a respostas, que com certeza levariam a outras perguntas! Tome como exemplo dois filmes sobre o mesmo personagem, Abraham Lincoln Caçador de Vampiros e Lincoln, ambos falam do mesmo personagem, mas em perspectiva completamente diferentes.
No primeiro, Abraham Lincoln, nos conta uma historia secreta da vida o presidente dos EUA, que em depois de sofrer uma perda pessoal recebe treinamento e acaba por se tornar um algoz dos vampiros! O filme acompanha a vida dele da infância a sua morte, e em todos os momentos ele linca a vida do presidente aos chupadores de sangue.
Já o segundo filme possui uma abordagem completamente diferente, ele tenta se ater somente aquilo que já foi estudado, é claro que como qualquer biografia ele não nem tenta ser imparcial, porem o diretor tenta te levar aquela época com uma linda recriação de cenário, figurino e atuações, seu foco é em um presidente mais velho em um período especifico, a aprovação da 13ª emenda.
Em minha opinião, ambos são interessantes, exatamente pelas historias que trabalham e pelas possibilidades que criam. O primeiro parte da idéia que Lincoln queria a aprovação da lei para libertar da opressão dos vampiros brancos os escravos que eram usados como alimentos. O segundo já parte da perspectiva moral do assunto, afinal a “Terra dos Livres” não poderia admitir que nem todos fossem realmente livres.
E é claro que isso pode ser usado nas mesas de jogo, saindo da historia dos EUA, e indo para a brasileira, um dos maiores conflitos na America latina foi a Guerra do Paraguay, a onde de um lados nos tínhamos a Tríplice Aliança, formada por Brasil, Argentina e Uruguai, do outro lado o Paraguai.
O conflito durou em torno de quase 6 anos, com o envolvimento de marinha e exercito, agora pare para imaginar se colocássemos elementos fantásticos como maquinas de guerra movidas a vapor, capazes de voar, e capazes de “Cuspir Fogo dos Céus”, ou ainda esqueçamos isso, campos de batalha com suas centenas de mortos e milhares de ferido, são locais idéias para atrair predadores como vampiros.
Como um destacamento iria reagir se ao entregar suprimentos a um acampamento descobrisse que todos foram mortos, mas nenhum deles apresenta ferimentos a bala ou armas brancas? Uma analise do medico indica algum tipo de animal, por causa das marcas de mordida e de garras.

Somente partindo disso você já consegue ter uma idéia de como ao se localizar em um elemento da historia você já pode criar coisas que nos fazem do cotidiano. Não tenha medo de ousar! Pegue a historia da sua própria cidade, talvez você more em um lugar a onde nada aconteça, até começar a pesquisar. Todos possuem segredos, e cidade e países possuem ainda mais.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Regras de Sanidade e Corrupção para Fate




Um dos jogos que mais possui fãs, seriam seguidores, é o Call of Cthulhu, baseado nas obras de H.P. Lovercraft, e de outros autores que usaram os Mitos. O Terror Cósmico é o principal mote do jogo, criaturas e magia incompreensíveis para a lógica da mente humana e que aos poucos destruindo ela tornando cada vez mais insana.


Toda vez que uma pessoa normal entra em contato com os mitos ela possui a chance de ficar um pouco mais louca, alem disso o próprio ser se torna mais corrompido, uma descida em espiral que leva o personagem a uma espiral decrescente a onde ele se perde.


Devo dizer que o sistema BRP, o sistema base do cenário tem uma legião de fã, mas particularmente não me agrada muito, nada contra ao sistema, mas gosto é gosto. Então o que a gente faz quando quer usar um cenário, mas não o sistema? Bem no  RPG nos adaptamos! E ai vai um do elementos básicos do cenário as regras de Sanidade para se usar em Fate Core System.


Hoje o Fate tem se tornado meu sistema preferido, e Savage Worlds já possui as suas regras descritas em Realms of Cthulhu, então aqui esta mais uma opção para as suas mesas. Estas regras podem ser usadas também em Espirito do Seculo da Retropunk.


Sanidade


A medida de como o personagem é afetado pela loucura e corrupção dos Mitos, se da através de dois itens, o primeiro é o estresse mental sofrido pelo personagem, o segundo se da pela corrupção que ele acumula a cada contato. Toda vez que um personagem entrar em contato com os mitos, o personagem deve fazer um teste de Vontade, uma falha representa que ele desce mais um degrau em na espiral.


O efeito depende do tipo de contato que o personagem fez com os Mitos, livros e itens, geram primeiro somente um aspecto, que pode ser compelido pelo narrador em troca de um ponto do destino, e a cada falha em um teste de vontade o personagem ganha um ponto de corrupção.


Já entrar em contato direto com criaturas e magias é considerado um ataque direto a mente do personagem, o que significa que alem de ele ganhar um aspecto, ainda sofre um dano de estresse mental.
A corrupção funciona como um estresse mental e físico, porem ele não gera penalidade, e o personagem pode assumir ate três aspectos, depois disso, quando todas as caixa de conseqüência estiverem preenchidas o personagem se torna um npc.


O estresse mental e a corrupção podem ser sanados com testes de vontade, uma vez por semana, as rolagens devem ser feitas de forma separadas, e tratamentos psicológicos ajudam no processo somando +1 de bônus, e drogas também ajudam com +1.

A cada mês em uma instituição o personagem se recupera de uma conseqüência, depois das conseqüências a cada mês o personagem uma caixa de estresse. Caso seja expostos a novos encontros com elementos dos mitos os personagem sofrem uma penalidade igual aos meses que ele passou na instituição.




terça-feira, 27 de agosto de 2013

Regras alternativas para Armas e Armaduras em Fate



Uma das coisas mais comuns em jogos de RPG são confrontos físicos, combate, esse é um dos elementos que me incomodava em Espírito do Século, mesmo que jogador o acertasse só causaria dano se ultrapasse a defesa do alvo. Dresden Files RPG conseguiu solucionar isso de forma simples e eficiente.

Abaixo segue o modelo de que uso em minhas mesas, o texto foi traduzido de forma livre do Dresden Files RPG, com ajuda do Google Crome, sintas-se livre para usar e ou modificar estas regras.

Armas e Armaduras

A arma pode causar estresse adicional em um alvo quando você tiver sucesso em um ataque e, da mesma forma, a armadura pode atenuar o estresse. As Armas e armaduras recebem classificações numéricas, geralmente de 1 a 4. Qualquer ataque bem sucedido adiciona o valor arma ao estresse causado, mas subtrai qualquer valor de armadura relevante. Se ocorrer um empate e não conseguir sucessos adicionais, você ainda deve somar o valor da arma

A classificação de uma arma baseia-se essencialmente em quanto estrago e ou dano ela é capaz de gerar. Essa é uma medida subjetiva, e fique livre para mudá-lo, mas tenha em mente que a uma arma muda o poder de um personagem:

Pequenas armas de bolso, facas, pequenos porretes e pistolas pequenas
Arma: 1
Espadas, bastões de beisebol, bastões, a maioria das pistolas
Arma: 2
Armas de duas mãos, pistolas de grandes dimensões (Desert Eagle e companhia), rifles e espingardas, armas automáticas
Arma: 3
Armas de "Campo de batalha", explosivos
Arma: 4+







Armadura funciona essencialmente da mesma forma que as armas - a classificação é baseada em que tipo de dano ela deveria absorver, uma cota de malha é eficiente contra espadas, porem não são tão eficientes contra balas. Resista à tentação de encher o jogo com a criação de amplos exemplos de tipos de armaduras, a melhor abordagem é a pensar que tipo de armadura é a ideal para o tipo de dano especifico. Então, Armadura: 2 destina-se a proteger completamente contra a maioria pistolas - é, provavelmente, um colete de Kevlar reforçado ou algo assim. Outro elemento que você deve pensar é a disponibilidade da armadura, por incrível que pareça, coletes não são tão fáceis de encontrar, como armas são. Muitos coletes à prova de balas no mercado são apenas Armaduras: 1 – o que pode aguentar um dano de pistola, mas ainda pode quebrar uma costela. Algo do tipo Armadura: 4 não é realmente algo que você encontra para uso pessoal, exceto, talvez, em um contexto mágico ou sobrenatural.


A dificuldade de se obter o item pode ser determinada pelo tipo do item, por exemplo, uma pistola de tipo Arma: 1, poderia ter uma dificuldade de +1, uma tipo Arma: +2 poderia ter uma dificuldade de +2. Esse valor pode ser somado a elementos como controle de armas do local. 

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Como eu posso criar uma história usando a História?

Olá, continuando com os artigos aqui no blog, hoje irei falar de como obter a informação que você precisa e de que formas você pode utilizar isso em suas aventuras e historias, não tenho a pretensão de dizer o que é certo ou errado, somente sugestões, então vamos lá.

Ok, eu não quero assustar ninguém, mas eu acredito que para se criar uma ambientação legal você precisa ler, não estou dizendo que você deva entrar em uma biblioteca e passar horas lá dentro, apesar de achar que isso não lhe faria mal, mas sim que você precisa conhecer sobre aquilo que você esta falando.

Eu sei por experiência própria que muitos historiadores simplesmente não possuem o dom da escrita, e a verdade é que para um leigo alguns textos podem assustar. Então por onde você poderia começar? Pode parecer simplista, mas eu recomendaria o livro didático, nem todos são bons, mas para um contato inicial, isso não irá prejudica-lo.

Além do livro didático você ainda pode adquirir alguns livros paradidáticos, estes livros tem como objetivo expandir os conteúdos, mas sem sobrecarregar o leitor de informações técnicas, abaixo irei colocar alguns links de coleções que acho interessante, nessas coleções você pode ter uma ideia geral, sem se sobrecarregar de informação.

Outra fonte de informação é, olha que surpreendente, é a Internet, claro que você precisa tomar cuidado com o que lê, nem tudo que você vê por aqui é verdade, pode parecer surpreendente, mas algumas pessoas simplesmente mentem ou não se preocupam com o que colocam on line.

O que não significa que você ache na internet confiável, é só ver o nosso espaço, mas falando serio, hoje na rede você é capas de encontrar artigos, caso queira algo mais acadêmico, ou simples informações, uma das fontes que gosto como referencia superficial é a Wikipédia, eu sei que alguns artigos podem ser alterados e  informações podem estar equivocadas, mas de forma geral eu não vejo tanto problema assim.

Agora que acho que uma das formas mais impactantes de se obter alguma referencia são o cinema e a tv, eu particularmente não acho que sirvam para uma pesquisa profunda, na verdade, acho que em muitos casos você ira fazer mais perguntas do que obter respostas, mas existem exceções, uma delas por exemplo é a serie do History Channel, Vikings, a serie segue um modelo de ficção, mas se baseia em um herói real.

Nessa serie, por exemplo, vemos elementos da cultura Viking, politica, sociedade e religião, outras series que te passam a mesma qualidade são as da BBC, como a Copper, que acompanha policias em Nova York no século XIX, esses são trabalhos que possuem muita pesquisa.
 
Muitos filmes se focam em eventos particulares, e a ambientação é composta por figurinos e cenografia, e em alguns filmes você pode ser capaz de retirar algo para a sua aventura.

O importante ao criar a sua aventura em algum período histórico, você deve ter em mete que quanto mais referencias tiver melhor a e maior ela será, não se limite somente a uma fonte, veja filmes livros e series, o importante é ter em mente que quanto mais informação, mais seguro do cenário e mais fácil ficarão as coisas pra você.

Coleção de Livros:


Series recomendadas:

Vikings - http://www.youtube.com/watch?v=k5VngkAbkAE


Revista de História:
http://www.revistadehistoria.com.br/