Páginas

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

A Morte quando o fim é só o começo!

Quando escutamos a palavra morte, pensamos em fim, no que já acabou ou ira acabar,
isso é natural do homem. Mas e se fosse o contrario? E se fosse o inicio de uma
fabulosa aventura? Bem que tal como usar isso em suas aventuras?


Bem em tão vamos começar, na maioria dos livros e filmes de suspense sempre há uma
morte logo no inicio da historia, as vezes isso é mostrado outras vezes somente o produto final, o cadáver é mostrado, porem em ambos os casos essa morte será a motivação para se começar a historia, e o primeiro foco de uma investigação é o próprio morto, coisas do tipo de quem ele era? O que ele estava fazendo ali? E por que alguém iria querer aquela pessoa morta?


Essas perguntas levam o investigador a descobrir não somente a historia do morto, mas
também como ele chegou nessa situação. Somente essas perguntas podem levar os
investigadores a descobrir e a enfrentar desafios que podem colocá-los em risco. E se a morte foi uma tentativa fracassada de um vampiro em cobrir seus alvos? O embaixador do planeta Sheir é conhecido por sua xenofobia, será que algum grupo extremista queria dar cabo dele?


Outra forma de se encarar a morte é tratando ela não como o fim de algo, mas sim uma
passagem, em muitos mitos gregos os heróis vão ao sub mundo, a onde os mortos habitam, para resgatar seus entes queridos e seus amores, nos contos gregos existem
pontos que conectam o nosso mundo ao sub mundo, mas eles não são faceies de se
encontrar e entrar.


O sub mundo não é um parque de diversões, para os gregos nele continham espaços de
prazer e recompensa, caso você tenha sido uma boa pessoa, mas também eram lugares de tormento e dor. Geralmente os soberanos desses lugares, no caso grego Hades, criam formas para impedir que as almas escapem de suas penas, e protege o lugar de invasores.
Só a descoberta de uma dessas entradas pode gerar todo uma aventura, como descobrir
tais lugares não é algo fácil, e esse é o tipo de informação que poucas pessoas podem ter acesso. O que os jogadores irão fazer por tal informação? Esse é o tipo de pergunta que somente você e seus jogadores podem responder.


E por ultimo, mas não menos importante, a ressurreição de um aliado ou amigo e olha
que eu não estou falando somente de cenários de fantasia. Por exemplo, em Star Trek: a Procura de Spock, os tripulantes estão tentando devolver a consciência de Spock que esta presa no corpo de Mccoy, não vou contar o resto para não estraga as surpresas.


Porem existe um aspecto negativo da ressurreição, se usada de forma exagerada pode
acabar também com a sensação de perigo do cenário, por exemplo em Star Gate, existe uma maquina que pode curar qualquer tipo de ferimento, mesmo se a pessoa já estiver quase morta, isso acabou gerando na serie uma muleta, “a ele se feriu? É só colocar no sarcófago! E
voilà!” para soluciona isso os produtores colocaram um efeito colateral, essa exposição causava um tipo de loucura, o que também justificava outros aspectos do cenário.


Então como podemos ver, a morte não precisa ser necessariamente o fim, mas também o começo! Espero ter podido ajudar com essas idéias, nos vemos nos próximos artigos.