Páginas

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Como o “e se” funciona nas Histórias de RPG!



Hoje gostaria de falar das possibilidades que um personagem e ou período histórico podem conter. Muitas vezes queremos criar algo do zero, e ignoramos que já existem personagens fantásticos que fizeram coisas que muitas vezes são inacreditáveis, tanto que muitos não acreditam que eles tenham feito realmente aquilo, claro que se nos atermos a realidade é bem possível que ele realmente não tenha feito.
Mas se na historia não existe o “e se” em RPG essa é uma das ferramentas básicas! Isso não quer dizer que um se torna o oposto do outro, mas sim um complemento. Ao escolher por exemplo o período colonial brasileiro o mestre pode se ater a somente o que é possível, o que com certeza já dariam excelentes historias, mas se alem disso você pudesse aumentar as coisas? Se a magia for algo real? Como isso afetaria o cenário? Será que a relação entre brancos e índios seriam as mesmas? E se os brancos também possuíssem magia?
Essas perguntas levam a respostas, que com certeza levariam a outras perguntas! Tome como exemplo dois filmes sobre o mesmo personagem, Abraham Lincoln Caçador de Vampiros e Lincoln, ambos falam do mesmo personagem, mas em perspectiva completamente diferentes.
No primeiro, Abraham Lincoln, nos conta uma historia secreta da vida o presidente dos EUA, que em depois de sofrer uma perda pessoal recebe treinamento e acaba por se tornar um algoz dos vampiros! O filme acompanha a vida dele da infância a sua morte, e em todos os momentos ele linca a vida do presidente aos chupadores de sangue.
Já o segundo filme possui uma abordagem completamente diferente, ele tenta se ater somente aquilo que já foi estudado, é claro que como qualquer biografia ele não nem tenta ser imparcial, porem o diretor tenta te levar aquela época com uma linda recriação de cenário, figurino e atuações, seu foco é em um presidente mais velho em um período especifico, a aprovação da 13ª emenda.
Em minha opinião, ambos são interessantes, exatamente pelas historias que trabalham e pelas possibilidades que criam. O primeiro parte da idéia que Lincoln queria a aprovação da lei para libertar da opressão dos vampiros brancos os escravos que eram usados como alimentos. O segundo já parte da perspectiva moral do assunto, afinal a “Terra dos Livres” não poderia admitir que nem todos fossem realmente livres.
E é claro que isso pode ser usado nas mesas de jogo, saindo da historia dos EUA, e indo para a brasileira, um dos maiores conflitos na America latina foi a Guerra do Paraguay, a onde de um lados nos tínhamos a Tríplice Aliança, formada por Brasil, Argentina e Uruguai, do outro lado o Paraguai.
O conflito durou em torno de quase 6 anos, com o envolvimento de marinha e exercito, agora pare para imaginar se colocássemos elementos fantásticos como maquinas de guerra movidas a vapor, capazes de voar, e capazes de “Cuspir Fogo dos Céus”, ou ainda esqueçamos isso, campos de batalha com suas centenas de mortos e milhares de ferido, são locais idéias para atrair predadores como vampiros.
Como um destacamento iria reagir se ao entregar suprimentos a um acampamento descobrisse que todos foram mortos, mas nenhum deles apresenta ferimentos a bala ou armas brancas? Uma analise do medico indica algum tipo de animal, por causa das marcas de mordida e de garras.

Somente partindo disso você já consegue ter uma idéia de como ao se localizar em um elemento da historia você já pode criar coisas que nos fazem do cotidiano. Não tenha medo de ousar! Pegue a historia da sua própria cidade, talvez você more em um lugar a onde nada aconteça, até começar a pesquisar. Todos possuem segredos, e cidade e países possuem ainda mais.