Páginas

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Ficção Cientifica e RPG

Ola, estou aqui hoje para falar de um dos gêneros que mais me agrada, a Ficção Cientifica (FC), o meu primeiro contato com esse gênero sempre fica meio confuso, isso por que sempre vem a minha cabeça imagens de assistir Star Wars e Star Trek a serie clássica. E se extrapolarmos mas um pouco, e isso não ofender a ninguém, talvez possa considerar Jaspion como o primeiro dos primeiros.
Já na literatura isso veio bem mais tarde, com Frank Herbert, Duna, e Isaac Asimov, A Fundação, e os livros baseados na serie de TV Arquivo X, graças a um desserviço de uma professora de ensino fundamental, me considerava incapaz de ter paciência para ler, hoje graças as Estrela Vivas eu já superei isso.
Esse gênero me agrada por que dentro dele, existe uma gama de subgêneros, que só são limitados pela imaginação do seu autor, e a com isso dito vou tentar demonstrar como podem ser interessante utilizar este gênero em suas mesas de jogo. O RPG, como a ficção cientifica pra mim, só é limitada pela imaginação do Narrador/Mestre e seus jogadores.
Existem alguns termos que dividem o gênero, tais como Space Opera (Opera Espacial), Hard Scienc, Cyberpunk, Viagem Temporal e etc... Algumas possuem alienígenas cruéis que só querem nos dominar, em outras os aliens são nossos aliados, e há ainda aqueles a onde a única espécie dominante são os humanos.
Mas algo é comum a todos os gêneros, Tecnologia, não só a sua existência, mas também como ela afeta aos seres de seu universo. Nem todas as FC, demonstram isso de forma clara, mas se você olhar bem de perto ela estará lá. Seja envolvendo bioengenharia ou implantes cibernéticos. Em algumas historia essa tecnologia se torna algo maligno, não ela em si, mas na verdade em como ela é utilizada
E como muitos gêneros, logo depois do aparecimento do RPG, este foi um que logo surgiu no meio e se desenvolveu. La fora alguns títulos se destacam, como Traveller, Shadowrun e Warhammer 40,000 Roleplay, isso só para destacar alguns dos que ainda recebem suporte, no Brasil, hoje só temos o Space Dragon, de Igor Moreno e o Abismo Infinito de John Bogéa, mas já tivemos jogos como o Millenia, porem este ultimo esgotado e sem previsão de impressão. Apesar da preferência de uma parte dos jogadores de RPG por fantasia, o gênero se mantém presente.
Então agora você já conhece um pouco de FC e de sua presença no cenário do RPG, vamos então falar das possibilidades. Como em qualquer gênero de RPG, você pode criar algo totalmente do zero, ou usar um dos vários cenários existentes, como Duna, A Fundação, ou ainda escolher um jogo que já exista, mas para isso você precisa decidir do que ira tratar esse cenário, caso use um sistema genérico como o Fate Core, o Savage Worlds ou ainda o Gurps, bem isso facilita parte do trabalho.
Eu por exemplo adoro Star Trek, todas as series, e uma das coisas que gosto na serie são os episódios de exploração, principalmente em Star Trek TOS e Enterpriese. Isso significa que os personagens dos jogadores irão viajar pelo espaço, normalmente com uma nave, e explorar os mistérios que a galáxia reserva.
Mas é claro que nem todas as raças serão legais com os personagens, como eles serão recebidos em territórios já controlados por outras espécies e poderes governamentais? Em alguns cenários o primeiro contato com outras raças é responsável, por episódios inteiros. Alguns terminam bem, outros nem tanto.
Se você gosta de um estilo mais Space Opera, algo do tipo precisamos salvar o universo, também existe uma gama da possibilidades. Os personagens dos jogadores podem integrar uma força militar que tem como objetivo manter a paz na galáxia, hum a onde eu já ouvi isso? Ou quem sabe eles sejam só membros de uma tripulação de uma espaço nave que esbarrou com uma ameaça a muito tempo esquecida na escuridão do espaço!



Como eu disse anteriormente, não há limites para se explorar este gênero! Bem pretendo em futuros artigos falar mais de outros elementos que compõem esse gênero, espero que este conteúdo tenha lhe ajudado e nos vemos na próxima.